Relationship Between the Parents and the Child's Eating Behaviour

download Relationship Between the Parents and the Child's Eating Behaviour

of 12

  • date post

    02-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of Relationship Between the Parents and the Child's Eating Behaviour

  • Empirical Articles

    Relao Entre o Comportamento Alimentar de Pais e FilhosRelationship Between the Parents and the Childs Eating Behaviour

    Sofia Homem de Melo*a, Ana Rosa Tapadinhasa

    [a] ISPA - Instituto Universitrio, Lisbon, Portugal.

    ResumoObjetivo: Compreender a relao entre o comportamento alimentar pais-filhos, relao esta que pode ser a chave para o desenvolvimentode estratgias de prevenomais adequadas no campo daObesidade e das Perturbaes do Comportamento Alimentar.Mtodo:Participaramno estudo 116 pais e respetivos 116 filhos de idades compreendidas entre os 8 e os 12 anos, que frequentam o 3, 4, 5 e 6 ano deescolaridade de duas escolas privadas da Zona da Grande Lisboa. Foram utilizados dois instrumentos: Inventrio de Perturbao doComportamento Alimentar (EDI-3) e o Inventrio de Perturbao do Comportamento Alimentar para Crianas (EDI-C).Resultados:Verificou-seuma correlao significativa entre o comportamento alimentar dos pais e dos filhos ao nvel das escalas do EDI, especialmente nos compsitosRisco de Perturbao do Comportamento Alimentar (r = 0,221; p = 0,017) e Desajustamento Psicolgico Geral (r = 0,183; p = 0,050). Foitambm verificada a relao entre pais e filhos em variveis como o ndice de massa corporal, IMC (r = 0,228; p = 0,014), atividades sedentrias[visualizao de televiso (r = 0,238; p = 0,010) e uso do computador (r = 0,263; p = 0,004)] e atividade fsica (r = 0,342; p = 0,013).Concluso:Estes resultados vm realar a importncia dos pais agirem como coagentes na mudana dos comportamentos alimentares desadequadosdos seus filhos, uma vez que, estes comportamentos so aprendidos, partilhados e por vezes mantidos no seio familiar.

    Palavras-chave: relao pais-filhos, comportamento alimentar, perturbaes do comportamento alimentar, obesidade

    AbstractObjective: To understand the parent-child eating behaviour relationship that could be the key for the development of more adequate preventionstrategies in the field of Obesity and Eating Behaviour Disorders. Method: Participants were 116 parents and respective 116 children withages ranging from 8 to 12 years, attending the 3rd, 4th, 5th or 6th school years at two private schools in the Lisbon area. Two instrumentswere used: Eating Disorder Inventory (EDI-3) and Eating Disorder Inventory for Children (EDI-C). Results: The results show a significantcorrelation between parent-child eating behaviour at the level of the EDI scales, especially the Eating Disorder Risk Composite (r = 0,221; p= 0,017) and the General Psychological Maladjustment Composite (r = 0,183; p = 0,050). The parent-child relationship was assessed observingvariables that contribute to healthy or inadequate behaviours, such as the body mass index, BMI (r = 0,228; p = 0,014), sedentary activities[(television viewing (r = 0,238; p = 0,010) and computer usage (r = 0,263; p = 0,004)], and physical activity (r = 0,342; p = 0,013). Conclusion:These results enhance the importance of parents as co-agents, supporting the change in their childrens inadequate behaviour, once thesebehaviours are learned, shared and often kept within the family.

    Keywords: parent-child relationship, eating behaviour, eating disorders, obesity

    Psychology, Community & Health, 2012, Vol. 1(3), 273284, doi:10.5964/pch.v1i3.36

    Received: 2012-07-25. Accepted: 2012-08-22. Published: 2012-11-30.

    *Corresponding author at: ISPA - Instituto Universitrio; Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa, Portugal, email: sofiaphm@gmail.com

    This is an open access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License(http://creativecommons.org/licenses/by/3.0), which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided theoriginal work is properly cited.

    Introduo

    Um dos maiores desafios da Psicologia da Sade a promoo e manuteno da sade e a preveno dadoena, contribuindo deste modo para a melhoria do bem-estar dos indivduos (Teixeira, 2004). A alimentaoe o comportamento alimentar, dependendo de como so realizados, podem ser considerados fatores de risco

    Psychology, Community & Healthpch.psychopen.eu | 2182-438X

    http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/http://creativecommons.org/licenses/by/3.0http://pch.psychopen.eu/http://pch.psychopen.eu/http://www.psychopen.eu/

  • para o aparecimento de inmeras doenas crnicas e degenerativas, ou por outro lado serem consideradoscomportamentos referenciados na rea da promoo da sade (Viana, 2002). consenso que modificaes nocomportamento alimentar se impem para prevenir doenas relacionadas com a alimentao e ajudar a promovera sade do indivduo. portanto fundamental compreender este conceito e estudar os fatores a ele associados.

    Segundo Morgado (2006), o comportamento alimentar visa a satisfao das necessidades das pessoas, estassociado aos estilos de vida quotidianos e uma forma de interao social. O desenvolvimento e aquisio docomportamento alimentar um processo evolutivo onde interagem um conjunto de fatores cognitivos, psicolgicos,familiares e sociais. A aquisio de hbitos e comportamentos alimentares infantis e juvenis, do ponto de vistapsicolgico, socioeconmico e cultural influenciado pelo ambiente familiar em que os indivduos esto inseridos(Campbell et al., 2007).

    Diversos autores defendem que, desde muito cedo, as crianas imitam os comportamentos, hbitos e crenasdas figuras parentais (Andrade, 2002; Birch, Savage, & Ventura, 2007). Viana e colaboradores (2008) vo maislonge e explicam que nas famlias em que existe obesidade ou preocupaes com dietas nota-se uma maiorinfluncia do estilo alimentar parental nos comportamentos alimentares dos filhos.

    Apesar de as tendncias biolgicas e a fome serem capacidades inatas, o comportamento alimentar comeadesde cedo a ser modificado e aprendido atravs dos agentes de socializao (Viana, Lopes dos Santos, &Guimares, 2008). Os pais, como principais agentes de socializao da criana, representam os modelos maisprovveis de serem implementados pelos filhos, influenciando direta ou indiretamente as suas escolhas ecomportamentos alimentares (Sutherland et al., 2008).

    Os ambientes familiares tm grande influncia nos comportamentos alimentares das crianas, pois nestesambientes que se desenvolvem preferncias e rejeies alimentares, crenas alimentares, padres de consumoalimentar e de dietas, rotinas alimentares e estilos de vida como a prtica de atividade fsica (Domnguez-Vsquez,Olivares, & Santos, 2008). O sistema familiar pode ter uma influncia maior no comportamento alimentar dascrianas do que os mecanismos homeostticos internos (Mrdjenovic & Levitsky, 2005) uma vez que a crianadepende da disponibilidade e escolhas dos seus pais na seleo e preparao de alimentos, nos hbitos e rotinasalimentares, no acesso e exposio aos media e ainda no incentivo prtica de atividade fsica (Brazo & Santos,2010).

    Assiste-se atualmente poca da supremacia do fast-food, do excesso de oferta alimentar, da insistncia epresso social dos media na valorizao da magreza e na oferta de produtos magros (light), da diminuio dosnveis de atividades fsicas em prol das atividades sedentrias, bem como do aparecimento das tecnologias ede ritmos de vida extremamente acelerados e stressantes (Morgado, 2006; Brazo & Santos, 2010). Todos estesfatores podem levar a que tanto adultos como crianas/adolescentes desenvolvam as chamadas doenas damoda, doenas estas que vo do continuum Anorexia at ao extremo Obesidade.

    A prevalncia das Perturbaes do Comportamento Alimentar (PCA) tem vindo a aumentar ao longo dos ltimosanos (Ackard, Fulkerson, & Neumark-Sztainer, 2007) assim como a Obesidade que j considerada pela OMSa epidemia do sculo XXI e o maior problema de sade pblica que a sociedade contempornea enfrenta (WHO,2007). Dada a enorme prevalncia destas patologias na nossa sociedade e a sua etiologia complexa torna-senecessrio compreender os fatores que esto na sua origem e manuteno, de modo a desenvolverem-seestratgias mais adequadas de educao e promoo para a sade. Estes comportamentos adquiridos na

    Psychology, Community & Health2012, Vol. 1(3), 273284doi:10.5964/pch.v1i3.36

    Comportamento Alimentar Pais-Filhos 274

    http://www.psychopen.eu/

  • infncia/adolescncia so aprendidos, em parte, atravs da observao dos que as rodeiam, especialmente dospais.

    Nas ltimas dcadas tm sido desenvolvidas inmeras investigaes com o intuito de explorar os determinantesbiolgicos, sociodemogrficos, familiares e sociais, que levam Obesidade e s Perturbaes do ComportamentoAlimentar. Davison e Birch (2001), numa perspetiva ecolgica do excesso de peso na infncia, inseriram osprincipais fatores de risco em trs categorias: caractersticas individuais da criana, estilos e caractersticasfamiliares e caractersticas sociodemogrficas. J Jacobi e colaboradores (2004, cit. por Striegel-Moore & Bulik,2007) destacam as caractersticas biolgicas, demogrficas e psicossociais como fatores que podem contribuirpara o desenvolvimento de perturbaes alimentares.

    Tm sido tambm desenvolvidas investigaes ao nvel da influncia dos estilos parentais nos padres eperturbaes alimentares dos filhos (Birch & Fisher, 2000; Viana, Candeias, Rego, & Silva, 2009), dosdeterminantes do comportamento e hbitos alimentares ao longo das fases do desenvolvimento (Viana et al.,2008), da perceo que pais e crianas tm sobre o seu comportamento alimentar (Moreira, 2007), da influnciado ambiente familiar nos comportamentos alimentares infantis (Domnguez-Vsquez et al., 2008), da observaoe repetio dos modelos alimentares parentais (Birch et al., 2007) e do papel dos meios de comunicao e dospares nos hbitos alimentares dos jovens (Viana et al., 2008).

    Apesar de existirem inmeros estudos focados nestas temticas assistimos ainda a uma grande escassez deestudos que analisem as variveis envolvidas na relao entre o compor