MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ teses.icict. · PDF...

Click here to load reader

  • date post

    12-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ teses.icict. · PDF...

  • MINISTRIO DA SADE FUNDAO OSWALDO CRUZ

    CENTRO DE PESQUISAS REN RACHOU

    PERCEPO DE RISCO: MANEIRAS DE PENSAR E AGIR NO MANEJO DO AGROTXICO

    RISK PERCEPTION: WAYS OF THINKING AND ACTING TOWARDS PESTICIDES

    MARIA DAS GRAAS UCHA FONSECA

    BELO HORIZONTE

    FEVEREIRO DE 2006

  • ii

    MINISTRIO DA SADE FUNDAO OSWALDO CRUZ

    CENTRO DE PESQUISAS REN RACHOU

    PERCEPO DE RISCO: MANEIRAS DE PENSAR E AGIR NO MANEJO DO AGROTXICO

    RISK PERCEPTION: WAYS OF THINKING AND ACTING TOWARDS PESTICIDES

    ALUNA: Maria das Graas Ucha Fonseca

    Dissertao apresentada para obteno do ttulo de mestre em Cincias da Sade na rea de concentrao Sade Coletiva Antropologia Mdica

    Orientadora: Prof. Dr. Maria Elizabeth Uchoa de Oliveira Demicheli

    Laboratrio de Epidemiologia e Antropologia Mdica CPqRR/FIOCRUZ

    Co-Orientador: Dr. Frederico Peres Centro de Estudos da Sade do Trabalhador e Ecologia Humana ENSP/FIOCRUZ

    FEVEREIRO/2006

  • iii

    MINISTRIO DA SADE FUNDAO OSWALDO CRUZ

    CENTRO DE PESQUISAS REN RACHOU

    Esta dissertao intitulada:

    PERCEPO DE RISCO: MANEIRAS DE PENSAR E AGIR NO MANEJO DO AGROTXICO

    Apresentada por:

    MARIA DAS GRAAS UCHA FONSECA

    Foi avaliada pela banca examinadora composta pelos seguintes membros:

    __________________________________________________________

    Prof. Dr. MARIA CECLIA MINAYO

    __________________________________________________________ Prof. Dr. VIRGINIA SHALL

    __________________________________________________________

    Dr. FREDERICO PERES

  • iv

    Catalogao-na-fonte Rede de Bibliotecas da FIOCRUZ Biblioteca do CPqRR Segemar Oliveira Magalhes CRB/6 1975 F676p 2006

    Fonseca, Maria das Graas Ucha Penido.

    Percepo de risco: Maneiras de pensar e agir no manejo de agrotxicos / Maria das Graas Uchoa Penido Fonseca.- Belo Horizonte: Fundao Oswaldo Cruz / Centro de Pesquisa Ren Rachou, 2006.

    xi,89 f: il. 29,7 x 21,0 cm. Bibliografia: f. 66-78 Dissertao (mestrado) Dissertao para obteno do ttulo

    de Mestre em Cincias da Sade pelo Programa de Ps - Graduao do Centro de Pesquisa Ren Rachou na rea de Concentrao: Sade Coletiva e Sub-area: Antropologia Mdica.

    1. Percepo de risco 2. Sade do Trabalhador 3. Comportamento 4. Agrotxicos I. Ttulo. II. Ucha, Maria Elizabeth (Orientadora) III. Peres, Frederico (Co-orientador)

    CDD 22. ed. 616.071

  • v

    Dedico este trabalho a meus filhos

    Marcelo e Rafael

  • vi

    AGRADEO Comunidade do Centro de Pesquisas Ren Rachou pelo acolhimento

    carinhoso e convivncia estimulante.

    Dr. Maria Fernanda Furtado Lima-Costa, por me abrir as portas do laboratrio de Epidemiologia e Antropologia Mdica.

    Prof. Virgnia Schall, Coordenadora da Ps-Graduao em Cincias da

    Sade pelo apoio irrestrito.

    Ao Dr. Frederico Peres, pela aguada capacidade cientfica demonstrada na

    co-orientao de meu trabalho e pela disponibilidade amiga.

    Joslia Oliveira Arajo Firmo, pela amizade generosa e apoio constante.

    Ao Srgio William Viana Peixoto, paciente mestre de meus primeiros passos na

    ps- graduao e testemunha amiga de meu percurso.

    Ao Antnio Igncio Loyola Filho, mestre dedicado e amigo atento.

    Sandra Carvalhais, pelo suporte amigo e disponibilidade generosa e

    sobretudo por mostrar que o sonho era possvel.

    Divane Leite Matos, pelos ensinamentos prticos sempre teis e carinhosos .

    colega Jussara, gentil companheira de percurso.

    Aos colegas Hugo, Karla e Joslia Frade, pela convivncia amiga.

    Aos colegas da turma de ps-graduao de 2004, companheiros de dvidas e

    de (in)certezas.

    equipe da Secretaria da Ps-graduao, pela constante disponibilidade.

  • vii

    Albelena, secretria do Laboratrio de Epidemiologia e Antropologia Mdica,

    pelo auxlio dedicado.

    Aos trabalhadores do polo floricultor de Barbacena, sem os quais este trabalho

    no seria possvel.

    Aos meus filhos, Marcelo e Rafael, que percorrem amorosamente comigo

    esses novos caminhos.

    Aos meus queridos irm, cunhado e sobrinhos, pelo incentivo permanente e

    amizade.

    Aos amigos, que souberam compreender este meu momento de estudante.

  • viii

    Elizabeth Ucha,

    minha brilhante orientadora e irm do corao,

    que acredita que um contexto de trabalho

    significa tecer um fio orgnico

    entre aqueles que do e os que recebem,

    construindo eticamente uma rede de conhecimentos

    que se torna matriz de motivaes,

    de opes e possibilidades.

  • ix

    Resumo

    O objetivo deste estudo foi identificar os elementos do contexto que influenciam

    as percepes e aes relacionadas ao uso de agrotxicos na produo de

    flores ornamentais. O estudo foi conduzido em Barbacena, Minas Gerais.

    Utilizou-se uma abordagem antropolgica inspirada no modelo de Signos,

    Significados e Aes que orientou a codificao e a anlise. Primeiramente

    foram focalizados os comportamentos concretos frente ao agrotxico,

    objetivando-se chegar s percepes e representaes do grupo. A coleta de

    dados se deu em duas etapas: 1) estudo preliminar e 2) estudo etnogrfico. O

    estudo preliminar visou um diagnstico inicial e a identificao de informantes

    chave. O estudo etnogrfico implicou em entrevistas e observaes. As

    entrevistas, semi-estruturadas e em nmero de 20, se basearam em um roteiro

    que integra referenciais de Rapid Assessment Procedures (RAPs) e foram

    gravadas e transcritas. Foram identificadas categorias dominantes,

    posteriormente refinadas e divididas em sub-categorias, que versavam sobre: o

    trabalho, aceitao ou recusa das inovaes, riscos e perigos do agrotxico,

    cuidados e impacto da informao sobre o comportamento . Um segundo nvel

    de anlise re-examinou o contedo dessas categorias, visando investigar

    articulaes e descontinuidades entre elas e os comportamentos associados.

    Finalmente, foram examinadas as correlaes e associaes, visando detectar

    as lgicas de encadeamento emergentes no processo. Os achados indicam

    que no h uma relao direta entre o conhecimento dos riscos e perigos

    associados ao agrotxico. Esta distncia preenchida por

    crenas/representaes que formam o eixo organizador das aes,

    reinterpretando a informao e o risco, influenciando o comportamento e

    viabilizando a convivncia dos trabalhadores com o agrotxico. Dois elementos

    a naturalidade e a familiaridade permeiam todas essas representaes e

    nos levam a pensar que a resignificao do risco nesses termos pode implicar

    numa valorizao positiva de comportamentos potencialmente danosos.

    Palavras chave percepo de risco, agrotxico, distncia entre saber e fazer, comportamento, crenas.

  • x

    Abstract The aim of this study was to to identify the elements of the context that

    influence perceptions and actions related to the use of pesticides in cut flower

    prodution. The study was conducted in Barbacena, Minas Gerais. The method

    is characterized by an anthropological approach, inspired on the model of

    Signs, Meanings and Actions, which guided codification and analysis. The focus

    was first on concrete behaviors to reach perceptions and representations. The

    data were collected in two moments:1) a preliminary study, and 2) an

    ethnographic study. The first implied a diagnostic of the situation and the

    identification of key informants. The second implied semi-structured interviews

    based on Rapid Assessment Procedures (RAPs) and observation. The

    interviews were recorded and transcribed. The analysis identified key

    categories which were refined and divided into sub-categories: the work in the

    cut flower production, acceptancy or refusal of innovations, risks and danger of

    pesticide use, care, and impact of information on behavior. A second level of

    analysis examined the articulation between categories and associated

    behaviors. The findings indicate the existence of a know-do gap filled by beliefs

    which form the organizing axe of actions. These beliefs reinterpret information

    and risk and infuence behavior. Two elements naturality and familiarity

    pervade these representations and suggest that the re-signification of risk in

    these terms might imply that positive value is given to potentially harmful

    behaviors.

    Key words risk perception, pesticides, know-do-gap, beliefs, behavior.

  • xi

    SUMRIO I. Introduo..................................................................................................01

    II. Objetivos...................................................................................................06

    III. Reviso da Literatura ...............................................................................07

    Conceito de Risco ................................................................................07

    Percepo de Risco..............................................................................09 Linhas de Pesquisa em Percepo de Risco.......................................10

    Uma Abordagem Centrada no Significado...........................................13

    IV.Mtodos e Instrumentos..............................................................................17

    O Contexto............................................................................................18

    O Modelo de Signos Signific