CRVIS3R Skateboarding #09

Click here to load reader

  • date post

    08-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    233
  • download

    9

Embed Size (px)

description

CRVIS3R Skateboarding #08

Transcript of CRVIS3R Skateboarding #09

  • | ano 2 | edio 09 |

    f O T O D O l e i T O r e a l i G S a c u i D e - S e

    enTreviSTa excluSiva:JameS Kelly

    final iGSa BraSil:maD raTS DOwnhill

    new yOrK ciTy:cenTral ParK

    rOlezO Six TrucKSBuDDy carr/meTrO

    challenGe

    Perfil:

    aGenDa lOnG Beach

    DeSlizeParTiu DOwnhill 4

    JamPa lOnGBOarD Day

    e new yOrK

  • crvis3r skateboarding

    | ndice

  • Capa: O fotgrafo carioca Gabriel Klein foi captar essa imagem na capital do estado de Minas Gerais, conhecido por suas eternas ladeiras. O resultado foi esse, onde a placa de velocidade foi ignorada pelo rider de Braslia, Paulo Lins, nesse B/S Full Slide na

    cidade de Belo Horizonte. Foto: Gabriel Klein.

    Sees:

    10. Editorial2014 apenas comeando!

    12. StartAo melhor estilo megalpole do terceiro mundo!

    16. Lado AColunas, novidades, lanamentos, curiosidades, campeonatos...

    68. Business planOs melhores produtos do mercado

    76. Cuide-se!Mantenha-se em forma sobre as rodas.

    78. Onde EncontrarNovas lojas a cada edio. Valorize sua skate/boardshop e adquira sua revista CRVIS3R Skateboarding nesses pontos de distribuio. de graa!

    82. Foto do LeitorClicou, enviou!

    46. Rolezo Six Trucks:A equipe Six Trucks tem tradio de pegar a sua van, colocar a sua equipe dentro dela e pegar a estrada para andar em diversas localidades. Dessa vez, o destino da equipe de longboard,foi andar na regio do Vale do Paraba, interior do estado de So Paulo, mais precisamente na cidade de So Jos dos Campos. Embarque nessa!

    48. Mad Rats Downhill Challenge:A ltima etapa do circuito da IGSA em So Joo do Deserto, no sul do Brasil, j se tornou tradicional, definindo o circuito e fechando com chave de ouro para alegria dos amantes da velocidade sobre o skate!

    54. New York City - Central Park:Mesmo no inverno rigoroso do Hemisfrio Norte, o skate no para na cidade de Nova York. E para deixar claro que nem chuva, sol ou neve impedem de andarem pela Big Apple, apresentamos um dos pontos tursticos mais conhecidos do mundo e um dos preferidos pelos long rider da cidade, o Central Park.

    60. Entrevista exclusiva - James Kelly:Respeitado como um dos riders mais rpidos do mundo, James Kelly aprendeu a domar sua adrenalina pra descer as ladeiras mais casca-grossas do planeta. Agradecido pelo skate ter proporcionado essas aventuras tanto do free ride como no downhill speed, considera o Brasil um dos melhores lugares pra andar, quando tem oportunidade de estar aqui. Leia e entenda por que gostar de velocidade um vcio... no bom sentido!

    70. Entrevista - Buddy Carr:O americano Buddy Carr tem um longa bagagem no skate americano e, tambm, uma vasta contribuio em marcas que criou e trabalhou. Criador e dono da marca Metro, ele revela com exclusividade mundial para a CRVIS3R os detalhes do seu mais novo lanamento, realizado na feira Agenda de Long Beach: um tnis com a mesma marca, direcionado para ladeiras e longboard!.

    O guerreiro Victor Gardellim, de Salvador, mostra que longboard muito mais que an-dar apenas em ladeiras, parque e orlas... F/S Rock Roll abenoado pelo belo sol nordestino na transio da skatepark de Imbu, na capi-tal baiana. Foto: Nathalia Savassa

    crvis3r skateboarding

  • Bem vindo(a) primeira edio do ano, e tudo leva a crer que ser um ano de timos resultados, mesmo comeando em um ritmo de retomada.No novidade nenhuma que o Brasil comea aps o Carnaval e, pra completar o quadro de um ano agitado, acontece a Copa do Mundo de futebol e as esperadas eleies estaduais e presidenciais... Algum tem dvida que vai ser um ano inesquecvel?

    O nosso desafio nesse ano atpico ser o de continuar trazendo o melhor que estiver acontecendo no skate de ladeira no Brasil e no mundo. No vamos parar por causa da Copa que, diga-se de passagem, talvez seja uma das mais tumultuadas da histria do torneio -, e tambm no vamos parar por causa das eleies estaduais e presidenciais. Queremos aproveitar essas datas e festas populares pra dedicar ao que mais gostamos: skate!

    Enquanto o Brasil se prepara para o que der e vier, nessa edio trazemos como sempre as melhores coberturas e matrias para o seu conhecimento, como a entrevista exclusiva do devastador de ladeiras, James Kelly, e tambm, do veterano homem da indstria norte-americana, Buddy Carr. Cobrimos tambm o Mad Rats Downhill Challenge, ltima etapa do circuito da IGSA realizada em So Joo do Deserto. Vamos at o famoso espao de lazer em Nova York, o Central Park, pra apresentar um dos melhores picos pra se andar de longboard na Big Apple; da mesma forma, acompanhamos o Rolezo da marca Six Trucks no interior de So Paulo... Tudo isso e muito mais nessa primeira edio do ano, na revista CRVIS3R Skateboarding #9.

    Veja e aproveite sem moderao... e, na boa, aproveite que o ano est comeando, pegue o seu skate e vai andar! Vamos que vamos! (FB)

    Vamos que vamos!

    Momento irado congelado pela lente de Fruke Alves, que conseguiu capturar o exato momento em que a ponta dos ps, a palma da mo, o skate alinhado e o corpo da rider Melissa Brogni demonstram todo o equilbrio e a versatilidade pra dominar o skate em alta velocidade nesse b/s full slide grab no Morro dos Papagaios, em Novo Hamburgo (RS)! Foto: Fernando Fruke Alves.

    crvis3r skateBoarding

    | editorial

  • No todos os dias que se tem uma via vazia e disponvel pro rol na maior cidade do pas. Davison Paixo no podia deixar passar essa oportunidade! Frontside drift na ponte estaiada Governador Orestes Qurcia.

    Davison Paixo. Foto: Igor Lage

    crvis3r skateboarding

    | start

  • crvis3r skateboarding

  • _ igsa

    Alexandre Maia, 41 anos, 27 de skateDiretor Sul Americano da IGSAPatrocnios: Orangatang, Downhill Machine, Academira Power ClubApoios: Tacna, Evoke, CS Team

    Caro

    lina

    Dot

    tori

    Apoio cultural:

    Terminei o ano passado fazendo uma reflexo sobre as di-vises de categorias e os critrios utilizados para a pas-sagem do Amador para o Profissional. Esse assunto to importante que vou iniciar o ano com este tema nova-mente, e espero deixar tudo ainda mais claro atravs de uma en-trevista com o profissional e conselheiro do Conselho Nacional de Skate de Velocidade da CBSK, Pedro Medula.

    [Alexandre Maia] Medula, h quanto tempo voc pro-fissional de skate e vem desenvolvendo o trabalho junto ao CNSV?

    [Pedro Medula] Participo de competies de nvel internacio-nal, como Teutnia, desde 2004, mas apenas em 2010 me tor-nei oficialmente profissional, j que este foi o ano em que a CBSk reconheceu o skate de velocidade como modalidade oficial e fo-ram profissionalizados os primeiros skatistas desta modalidade, por meio de votao do Conselho Nacional de Skate de Veloci-dade CNSV. Desde a criao do CNSV, em 2010, sou conse-lheiro do mesmo. A primeira gesto trabalhou de 2010 a 2012, e a partir da os mandatos tem durao de 2 anos. O cargo de Conselheiro exclusivo de atletas profissionais e os conselhei-ros so eleitos por votos dos atletas profissionais da modalidade. O cargo de Conselheiro Nacional no remunerado, e sofre uma presso muito grande por parte de todos os atletas e organiza-

    dores de eventos. Ano passado, tivemos quatro conselheiros que entrega-ram seus cargos por motivos diversos, mas todos relacionados s presses que este cargo sofre.

    Atualmente o CNSV conta com trs conselheiros, Arthur Bafile (Slick-MG), Fbio Guimares (Gorducho-RJ) e eu, Pedro Medula (PR). Nossa gesto ir at o final de 2014, quando ser feita nova eleio, onde pode haver ou no a reeleio j que no h limite para reeleies.

    [Maia] Quando comeou a diviso de categorias no skate de velo-cidade e qual a importncia desta diviso?

    [Medula] A ideia de diviso de categorias no skate de velocidade bas-tante antiga. Vrias foram as iniciativas neste sentido. Algumas com passos interessantes, como a reunio em Bananal (2005), que contou com repre-sentantes de vrios estados e visava criar uma Associao Nacional. De-vido grande dificuldade de implementao, a diviso de categorias aca-bou acontecendo oficialmente apenas em 2010, quando foi criado o CNSV, que responsvel por determinar as regras e diretrizes da modalidade no pas. Nunca vou me esquecer daquela noite em Santana de Parnaba-SP, em 2010, quando reunimos os atletas mais antigos para uma reunio extraordi-nria na noite de sbado e definimos que, a partir daquele momento, j seria implementada a diviso de categorias. Aquele foi um marco na histria do esporte do qual me orgulho muito de ter participado. Desde aquele momen-to, o skate de velocidade evoluiu muito em todos os seus aspectos: a diviso de categorias fundamental para o desenvolvimento da modalidade. Duran-

    Pedro Medula.

    Henr

    ique

    riq

    ue B

    arBo

    crvis3r skaTeboarding

    | lado a

  • te anos competimos vrios campeonatos grandes e de relevncia, nos quais qualquer um que comprasse um skate poderia alinhar com atle-tas de muita experincia e que j estavam realizando trabalhos profis-sionais pelo skate. Alm disso, no havia um circuito nacional definido, tampouco um objetivo a ser alcanado. Sem categorias, o atleta pode-ria parar de competir durante anos, quando voltasse estaria competin-do da mesma forma que outro atleta que tivesse optado por trabalhar pelo esporte. Como toda e qualquer mudana, a diviso de catego-rias feita em 2010 gerou muitas crticas e resistncia, principalmente, por bvio, por parte dos que no foram aprovados como profissionais. Essa diviso foi um marco na histria do esporte.

    [Maia] Quais os critrios utilizados para a profissionalizao?[Medula] Este um ponto muito interessante, polmico e delicado.

    Atualmente so analisados critrios objetivos e subjetivos. Os crit-rios objetivos esto elencados em um documento disponvel na pgi-na do CNSV no Facebook,